Girls Incarcerated: Young and Locked Up

Como vocês sabem, eu adoro uma série original Netflix. E não poderia ser diferente dessa vez.

Essa série estreou no dia dois de Março de 2018. Faz algum tempo. Só me dei conta que a série estava no ar por conta de uma notificação da própria rede de streaming Netflix. A notificação era que já estava disponível a segunda temporada da série.

Foi então que comecei a assistir Girls Incarcerated: Young and Locked Up (traduzido para o Português como Garotas No Cárcere) num domingo de tarde e aí me apaixonei pela série.

Ela retrata o dia a dia de meninas que foram presas, mas como são menores, acabaram indo para uma “cadeia”, ou melhor, um “correctional center“. Um estabelecimento correcional federal para menores.

Eles providenciam educação, atividades de recreação, cuidados de saúde, ajuda de psicólogos e psiquiatras para meninas que cometeram crimes.

A diferença entre a primeira temporada e a segunda temporada é sua localização.

A primeira se passa no Madison Juvenile Correctional Facility em uma cidade de Indiana chamada Madison.

A segunda, por conta de problemas burocráticos, se passou em LaPorte, se tornando então o LaPorte Juvenile Correctional Facility, que é um estabelecimento em uma cidade de Harris County no estado norte-americano do Texas.

A maioria dessas meninas são usuárias de drogas, tem familiares próximos presos e tem um passado muito difícil. Prostituição, abuso sexual e falta de estrutura familiar são uns dos temas que perpassam pela vida de todas. Mesmo que seja um dos três.

Estou numa “vibe” de assistir séries sobre prisão. Inclusive vou fazer outro post falando sobre JailBirds (Irmãs de Cela), na qual é outra série com esse tema intrigante. Então, fiquem ligados!

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. julho 23, 2019

    […] mesmo que Vis a Vis, por exemplo, seja indicada para maiores de 18 anos. Já nos realities como Girls Incarcerated – Garotas no Cárcere, a indicação é ainda menor, 16 […]

  2. julho 31, 2019

    […] depois ameaça até Maca de morte por ela está devendo à ela. Depois de Zulema, ela é uma das encarceradas mais […]